21 setembro 2014

Contagem  - 5 dias

Feira de Cultura e Ciências

Escola Classe 111 Sul

contagem

Acolhida dos visitantes e abertura

8h30 às 8h50horas

Visitação dos estandes - Mostra de trabalhos, com explicação pelos alunos!

8h50 horas às 10h30

Lindas apresentações!

10h40 às 10h50– 5º ano A

Sarau Romântico - Século XIX

10h55 às 11h05– 4º anos A e B

Música Kizomba, mistura das raças

11h10 às 11h20– 3º ano A

Pout pourri de comida

11h25 às 11h35– 2º ano A e B

Teatro e música Camaro amarelo

11h40 às 11h50– 1º anos A e B e Classe Especial

Música Tumbalacatumba

     Teremos também venda de espetinho de churrasco a R$ 3,00 cada, pastel a R$2,00 cada, copo de refrigerante a R$ 2,00 cada e pote de sorvete de 200 ml a R$ 2,00 cada e um sensacional BAZAR.

ladybug_number_5

18 setembro 2014

Brasília, 09 de setembro de 2014.

Ilmo Sr. Jefferson

Coordenador Regional de Ensino do Plano Piloto/Cruzeiro

O Conselho Escolar da Escola Classe 111 Sul, representando toda a comunidade escolar, vem, através desta, agradecer todo o empenho que o Sr. Coordenador da Coordenação Regional Plano Piloto/Cruzeiro dispensou, e dispensa, a nossa unidade de ensino.

O Sr. Jefferson atendeu com postura sensível e olhar diferenciado, nossas solicitações de melhorias, qualificando positivamente o serviço prestado pela Secretaria do Estado de Educação do Distrito Federal.

Entendemos que a qualidade no Ensino Público, desejada pela sociedade, não depende exclusivamente da escola em que nossos filhos se encontram, mas de decisões objetivas, corretas, concretas e claras, como as do Coordenador da Coordenação do PP/Cruzeiro.

Estas atitudes devem ser valorizadas não apenas pela unidade atendida, mas por todos que se beneficiam, principalmente nossos filhos.

Atenciosamente,

Silvânia Maria Ferreira da Silva

Presidente do Conselho Escolar da Escola Classe 111 Sul e demais membros eleitos

INFORMATIVO SEMANAL

22 a 26/09

*Esta semana traz muitas novidades e atenção da família! Observe o calendário!

Quinta-feira 25/09 - O horário de aula será:

Matutino: 7h40 às 10h40

Vespertino: 13h10 às 16h10

Motivo: Término de arrumação da escola para a Feira Cultural. Como começaremos a arrumação na quarta e teremos poucas salas disponíveis, passaremos um filme com objetivo pedagógico para os alunos. Neste dia, os alunos que não puderem vir devido os pais terem que vir buscar mais cedo, não terão falta.

Sexta-feira 26/09- FEIRA DE CULTURA E CIÊNCIAS

Horário: 8h30 às 11h50 - Toda a escola. Não haverá aula no vespertino.

Haverá abertura, visitação de estandes e explicação pelos alunos e apresentações, conforme programação enviada anteriormente. Haverá exposição dos trabalhos dos alunos da Classe Especial. Em virtude de alguns deles terem baixa tolerância ao barulho, optamos de dispensá-los de apresentações.

A presença dos alunos é obrigatória e contamos com a participação de toda família prestigiando os trabalhos das crianças. Daremos declaração de comparecimento para os pais que necessitarem.

Teremos também venda de espetinho de churrasco a R$ 3,00 cada, pastel a R$2,00 cada, copo de refrigerante a R$ 2,00 cada e pote de sorvete de 200 ml a R$ 2,00 cada e um sensacional BAZAR.

CARDÁPIO QUINZENAL

22/09 à 03/10

SEGUNDA

22/09

TERÇA

23/09

QUARTA

24/09

QUINTA

25/09

SEXTA

26/09

Cookie com iogurte de morango

Estrogonofe de carne com milho e arroz

ESCOLA PARQUE

Macarrão com molho branco (leite, farinha de aveia, milho e manteiga) e isca de carne

Biscoito Cream Cracker com suco de pêssego

SEGUNDA

29/09

TERÇA

30/09

QUARTA

01/10

QUINTA

02/10

SEXTA

03/10

Arroz, feijão, iscas de carne e salada

Biscoito Cream Cracker com leite e achocolatado

ESCOLA PARQUE

Arroz com feijão tropeiro e salada

Macarrão, iscas de carne ao molho vermelho e salada

*Cardápio sujeito a alteração conforme envio de alimentos.

Que delícia de receita! - transp

12 setembro 2014

racismo

“O preconceito é uma opinião desprovida de julgamento. Assim, em toda terra, se incutem às crianças as opiniões que se quiser, antes de elas poderem julgar”
(Voltaire)

     O preconceito deve ser combatido e é possível educar nossas crianças, e a nós mesmos, no sentido de superá-lo. Todavia, é muito difícil vencê-lo quando está inculcado e arraigado nas mentes e corações. Então, o preconceito torna-se uma patologia, talvez curável por uma experiência muito intensa e traumatizante! A inibição legal ou econômica pode induzir a escamotear o racismo e o preconceito, mas ele estará lá, como uma fera adormecida.

     Se o “horror às diferenças” não explica por si o preconceito, penso que não se pode desconsiderar o peso que o estranhamento diante de uma situação, algo ou alguém diferente, tem no processo de manifestação do preconceito. Nesse sentido, talvez o passo mais importante para combater o preconceito seja partir do reconhecimento deste.

     Fica a reflexão sobre as relações pessoais que construímos e sobre a responsabilidade que temos como pais e educadores. O preconceito é como uma sombra que nos persegue, um veneno que mata lentamente.  Quantos preconceitos se escondem sob a hipocrisia das relações sociais fundadas nas aparências e nos discursos racionais que proferimos? Em qual recanto da nossa alma os escondemos?

     As formas de discriminação e preconceito entre manifestações culturais são muitas, mas todas têm uma característica comum: o não-reconhecimento do outro como igualmente humano e com o direito de ser diferente. Com isso, as vítimas de preconceito ou discriminação sofrem limites severos para manifestar sua cultura, seu modo de pensar, seus sentimentos, desejos, projetos ou valores.

     É preciso desconstruir a ideologia do branqueamento que continua a afetar as mentalidades de uma porção significativa da sociedade. É preciso que o sistema educativo reforce aulas de história da população afro-brasileira e povos indígenas, um dos mecanismos mais eficientes para combater o preconceito.

  “"Quem aceita o mal sem protestar, coopera realmente com ele".
Martin Luther King - Líder negro americano assassinado 

“Desrespeitando os fracos, enganando os incautos, ofendendo a vida, explorando os outros, discriminando o indígena, o negro, a mulher, não estarei ajudando meus filhos a ser sérios, justos e amorosos da vida e dos outros.”
Paulo Freire. Referia-se ao índio Galdino, assassinado por um grupo de adolescentes, em Brasília, 1997.

Entenda:

      A injúria racial está tipificada no artigo 140, § 3º do Código Penal Brasileiro e consiste em ofender a honra de alguém com a utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem. Recentemente, a ação penal aplicável a esse crime tornou-se pública condicionada à representação do ofendido, sendo o Ministério Público o detentor de sua titularidade.

    Já o racismo é a discriminação social que tem por base um conjunto de julgamentos pré-concebidos que avaliam as pessoas de acordo com suas características físicas, em especial a cor da pele. Baseada na preconceituosa ideia de superioridade de certas etnias, tal forma de segregação está impregnada na sociedade brasileira e acontece nas mais diversas situações.

     A discriminação racista é considerada crime pela Constituição Federal que apresenta diversas formas de punição para estes casos. Posto que o crime representa o ódio ou aversão a todo um grupo, o racismo é um delito de ordem coletiva, que ataca não somente a vítima, mas todo o ideal de dignidade humana.

     O racismo pode estar presente em qualquer tipo de ambiente: no trabalho, na rua ou até mesmo em meio a pessoas próximas. Por isso, torna-se importante salientar que todas as formas de ocorrência do preconceito devem ser notificadas, sejam elas nítidas ou discretas. Além de ser um direito, é dever de todo cidadão denunciar esse tipo de ocorrência. Através da denúncia protege-se não apenas uma vítima, mas todo um grupo que futuramente poderia ser atacado. Lei Anti-Racismo (http://www.amperj.org.br/store/legislacao/leis/L7716_racismo.pdf).

     Desrespeito e atitudes de repúdio baseadas em fatores étnicos, culturais, religiosos, regionais e de orientação sexual também apresentam caráter discriminatório e devem ser firmemente denunciadas.

Como Identificar:

     É comum a prática racista camuflar-se em experiências cotidianas ou formas ofensivas de brincadeira. Normalmente o racista não admite seu preconceito, mas mesmo assim age de maneira discriminatória. Estando ou não evidente, a vítima tem o direito de denunciar qualquer forma de ultraje, constrangimento e humilhação.

O agressor costuma:

· dar apelidos de acordo com as características físicas da vítima;

· inferiorizar as características estéticas da etnia em questão;

· considerar a vítima inferior intelectualmente, podendo até negar-lhe determinados cargos no emprego;

· ofender verbal ou fisicamente a vítima;

· desprezar os costumes, hábitos e tradições da etnia;

· duvidar, sem provas, da honestidade e competência da vítima;

· recusar-se a prestar serviços a pessoas de diferentes etnias.

Como Denunciar:

       Ao denunciar uma atitude racista, a vítima precisa estar ciente de seus direitos e não admitir que o ocorrido seja tratado com pouco caso, exigindo a realização de um Boletim de Ocorrência. É importante tomar nota da situação, procurar a ajuda de possíveis testemunhas e identificar precisamente o agressor. Em caso de agressão física a realização de um Exame de Corpo de Delito é indispensável; também é importante a vítima não limpar machucados nem trocar de roupa, já que esses elementos são provas da violência.
      É importante salientar que há diferença na forma de julgamento das diferentes expressões de racismo. O Código Penal, em  seu artigo 140, § 3º determina uma pena de 1 a 3 anos de prisão, além de multa, para as injúrias motivadas por “elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem, ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”. Já a lei 7716/89, lei anti-racismo,  engloba os “crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”, também com pena de reclusão de 1 a 5 anos, mais multa.

     Bons lugares para se buscar justiça e ajuda em casos de racismo são as Comissões de Direitos Humanos e os departamentos policiais. Toda delegacia tem o dever de averiguar um crime de racismo, entretanto há, em alguns lugares, delegacias especiais para esse tipo de ocorrência. 

10685514_833746203337354_5966690047024345530_n

Nesta escola, somos todos educadores! Meninos e meninas do 3º ano A,  em aula de capoeira com professor Evandro, durante o recreio!

foto 4 (1) foto 5 (1)  foto 1 (1) foto 1 foto 2 (1) foto 2 foto 3 (1) foto 3 images

Isso sim, é inclusão de fato!

2_thumb 3_thumb 1_thumb

Parabéns professora Walcilene!

gif209_thumb[1]

INFORMATIVO SEMANAL

15 A 19/09

*É com alegria que comunicamos ter alcançado a meta de 100% dos alunos a terem acesso a Mansão Cata Vento. Houve doações, complementação da APM e muita colaboração para que todos pudessem ter acesso. Faltam poucos pagarem a segunda parcela, mas já confirmamos com a casa de festas e efetuamos o pagamento total de mais de 80% dos alunos. Agradecemos a todos os pais que colaboraram com a Vivência Matemática ou mesmo com doação em espécie para ajudar aos alunos carentes. Ninguém deixará de ir por falta de dinheiro e esta era nossa principal meta.

clip_image002

*Estamos enviando o cronograma de datas para renovação de matrículas e informações para o ano letivo de 2015. Em outubro, enviaremos formulário de renovação automática e os esclarecimentos para os remanejamentos, posteriormente.

*Não esqueçam do compromisso com a escola! No dia 26/09, (sexta), de 8horas e 30 às 11h50, compareçam a Feira de Cultura e Ciências. Já é tradição e é o momento de conferir o trabalho da escola! Todos devem participar!

4º ano A - Piquenique ao ar livre ,  após  Vivência Matemática.

foto 4 foto 5

Delícia saborear o que trouxeram: sombra e água fresca...