28 abril 2016

O bioma, exclusivamente brasileiro, ocupa 11% do território 

nacional, tem uma rica biodiversidade, imenso 

potencial para 

 a conservação de serviços ambientais, uso sustentável e 

bioprospecção, que são fundamentais para o

 desenvolvimento do nosso país. Ao adotarmos medidas para 

cuidar da ‪‎Caatinga‬, estamos contribuindo também para a 

atividade econômica dos ramos farmacêutico, químico, de 

alimentos e cosméticos, que dependem da conservação desse 

bioma.

22 abril 2016

Dia da Terra: 
10 coisas que você precisa saber sobre esta data
     Talvez você nem saiba, mas o dia 22 de abril é mundialmente o Dia da Terra e, para comemorar a ocasião, organizações de todo o Planeta se mobilizam na data para plantarem árvores e discutirem temas relacionados ao Meio Ambiente de uma forma geral. A seguir, confira algumas curiosidades sobre a data e o que ela representa:
1 – A data
     Um grande acidente com óleo na Califórnia, em 1969, trouxe à tona, não apenas nos EUA, mas em todo o mundo, a necessidade de nos preocuparmos mais com o meio ambiente, e com base nos movimentos anti-guerra que existiam no momento, o dia 22 de abril do ano seguinte ao acidente ambiental acabou sendo considerado o Dia da Terra.
Começou rápido e deu certo.
2 – No primeiro dia, 20 milhões de norte-americanos foram às ruas
     A data já nasceu com milhões de adeptos preocupados com o futuro do planeta. Nesse dia, estima-se que 20 milhões de norte-americanos tenham protestado, feito manifestações e promovido eventos que pretendiam conscientizar a população. Em Nova York, a eletricidade chegou a ser cortada em várias regiões, e em uma das manifestações um carro, símbolo de poluição, foi completamente destruído.
Mobilização é fundamental
3 – No início, a ideia era mobilizar universitários
     Por causa da mobilização que muitos estudantes haviam feito em decorrência da Guerra do Vietnã, acadêmicos de Harvard foram chamados para promover a data. O dia 22 de abril é quando a maioria dos campus universitários dos EUA está entrando no Spring Break, que é uma semana de férias no início da Primavera.
Todos juntos.
4 – A data foi recebida com críticas também
     Grupos conservadores se opuseram à criação do Dia da Terra, argumentando que a ocasião era uma forma velada de celebrar o aniversário de Vladimir Lenin. Entre outros argumentos, estava o de que a data era uma desculpa para não tratar de assuntos mais importantes e de permitir que empresas não engajadas ambientalmente pudessem parecer “boazinhas” uma vez ao ano.
Lenin, claro.
5 – Mudanças de opinião
     Em 1970, 25% dos norte-americanos se posicionaram a favor da instauração de políticas ambientais – um aumento de 2.500% em relação ao ano anterior! Apenas oito meses após o primeiro Dia da Terra o então presidente norte-americano Richard Nixon aprovou a criação da Agência de Proteção Ambiental.
Ponto positivo!
6 – A data se tornou internacional
     Em 1990, o Dia da Terra passou a ser celebrado em todos os países do mundo, com 141 nações efetivamente envolvidas. Uma década depois, na virada do milênio, o Dia da Terra se tornou um movimento emergente e adotado, agora, por 184 países e contando com a ajuda de 5 mil organizações ambientais. Depois de 40 anos de sua implantação, a estimativa é a de que o Dia da Terra já tenha mobilizado 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, que participaram de diversas atividades.
O Planeta agradece!
7 – Dia Internacional da Mãe Terra
     Esse foi o nome dado em 2009 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, que acrescentou o termo “mãe” como símbolo do nosso planeta.
E olha que mãe bonita!
8 – Até a NASA colaborou
     Durante a missão lunar Apollo 14, em 1971, o astronauta Stuart Roosa levou consigo para o espaço uma série de sementes, que, depois de seu retorno, foram germinadas e plantadas com sucesso em torno de alguns monumentos dos EUA e de outros países.
Incrível!
9 – Temas
     Em 2016, o tema do Dia da Terra são as árvores, e a ideia é plantar 7,8 bilhões de árvores ao longo dos próximos cinco anos. Só para você ter ideia, um acre de árvores absorve a mesma quantidade de dióxido de carbono produzido por um carro que tenha percorrido 42 mil km. Em 2011, foram plantadas 1 milhão de árvores no Afeganistão.
Árvores e mais árvores, por favor!
10 – Acordos
     Hoje, em Nova York, 150 países devem assinar o acordo sobre mudanças climáticas, que foi proposto em Paris no último ano, durante a COP 21. O Brasil está entre eles. Esse documento prevê o compromisso de países considerados grandes responsáveis pela emissão de poluentes – China, EUA, Índia e Japão, por exemplo – em reduzirem os impactos e, dessa maneira, evitar que a temperatura do planeta suba mais do que 1,5° C.
    No Brasil, o Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social trabalha em parceria com as metas criadas pelo Dia da Terra.
Ainda há esperança.

 

18 abril 2016

INFORMATIVO SEMANAL

25/04 a 29/04

*Informamos que nesta semana haverá aplicação da Provinha Brasil para os alunos do 2º ano. Portanto, evitar faltas e atrasos. A Provinha Brasil tem o caráter de avaliar todas as crianças do 2º ano e cuja finalidade é  reestruturar o trabalho pedagógico e avaliar como os alunos chegaram no 2º ano. Serão aplicadas em dois dias (Português e Matemática) pelo próprio professor como uma atividade extra, evitando que as crianças fiquem apreensivas.
*Estamos com muita dificuldades para fazer o lanche, não recebemos sal, tempero, cebola, alho, legumes e verduras entre outros que complementam e são necessários para fazer um lanche saboroso.Por este motivo, a contribuição da APM é imprescindível, principalmente para o integral onde as crianças almoçam. 
*Pedimos a doação de frutas (bananas, laranjas, maçã, mamão, melão) para fazermos uma deliciosa salda de frutas na sexta dia 29/04 e legumes (cenoura, batata, chuchu.) para fazermos uma sopa na segunda dia 02/05. As doações devem ser feitas até quinta desta semana.
*A partir do dia 25/04 a diretora estará usufruindo 16 dias de férias, com retorno em 11/05, passando a supervisora Adriana a substituí-la.

17 abril 2016

Integração escola parque e tributárias ! Acolhendo todos os alunos, pois, somos  todos especiais‏!







 

CARDÁPIO QUINZENAL – ENSINO REGULAR

18/04/2016 à 29/04/2016

SEGUNDA
18/04
TERÇA
19/04
QUARTA
20/04
QUINTA
21/04
SEXTA
22/04
Macarrão ao molho
Arroz, feijão, farofa de carne
Rosquinha de coco com suco de caju
FERIADO
RECESSO
SEGUNDA
25/04
TERÇA
26/04
QUARTA
27/04
QUINTA
28/04
SEXTA
29/04
Arroz, feijão, carne refogada
Arroz  doce ou biscoito com suco
Galinhada
Arroz, feijão, carne em cubos e salada
Cookie com leite e achocolatado

CARDÁPIO QUINZENAL – ENSINO INTEGRAL

SEGUNDA
18/04
TERÇA
19/04
QUARTA
20/04
QUINTA
21/04
SEXTA
22/04
Biscoito com suco

Biscoito com suco

Rosquinha de coco com suco de caju
FERIADO
RECESSO
Macarrão ao molho
Arroz, feijão, farofa de carne
Arroz, feijão e frango assado
FERIADO
RECESSO
Biscoito com suco
Biscoito com suco

Cream cracker com suco de cajú
FERIADO
RECESSO
SEGUNDA
25/04
TERÇA
26/04
QUARTA
27/04
QUINTA
28/04
SEXTA
29/04
Biscoito maisena com suco de caju
Arroz doce ou biscoito com suco
Cream cracker com suco de pêssego
Cream cracker com suco de pêssego
Cookie com leite e achocolatado
Arroz, feijão, carne refogada
Macarrão ao molho
Galinhada
Arroz, feijão, carne em cubos e salada
Arroz, feijão, peixe assado
Rosquinha de coco com suco de caju
Cream cracker com Leite e achocolatado
Biscoito Maisena com suco de caju
Rosquinha de coco com suco de caju
Cream cracker com suco de pêssego

15 abril 2016

Poesias indígenas para conhecer

     Os poemas e poesias indígenas de diferentes etnias sempre acabam trazendo um olhar sobre a natureza e suas realidades culturais.
1 -  Tempo Quebrado
Por Salvino dos Santos Braz - Kanátyo Pataxó


O tempo foi quebrado,
Picado sem dó,
Como um nó
Que prende e amarra. 
Ninguém tem mais tempo,
Pro seu tempo de vida,
O tempo se despedaçou.[...]
O tempo hoje vale dinheiro,
Mas como viverá o sabiá?
O seu tempo vale mais do que dinheiro,
Vale liberdade (...)
 ...
Dá sentido a sua vida
Com uma linda poesia.
Sabiá bico de osso,
O seu canto que eu ouço
Não tem preço,
A sua vida reconheço,
Por isso o meu tempo lhe ofereço
Pra voar, cantar e me alegrar.
Minha amiga sabiá
Tenho medo de lhe perder,
O que será eu e você
Sem o canto?

2 -  Cantos da terra
Por Freddy Chikangana - Wiñay Maílla - Etnia: Yanakuna Mitmac
 
Saramanta takiy nuqapi yakuri samay
Taki punchau ñaupakhina taki
k'ullu sonccohima muyu ima nima huañushca
suttuyhinamicjuchiy pucuycuna.
Saramanta: taki, yaku, samai...
Causay punchau tarpunahuancuna cayna-punchau
trigo parhuayna poccoy ima sisay pachacunapi.

Tradução:

De milho são meus cantos e de água minha essência.
Canto hoje como antes cantaram 
com teimosa semente que renega a morte,
assim como gota que alimenta a fonte.
De milho: cantos, água, essência.
Vivo hoje do plantio de ontem,
como espiga madura que floresce na terra.
 3 - Ay kakyri  tama
Por Márcia Vieira da Silva - Kambeba
 mestra em geografia, escreve poemas, canta, recita e sempre conta para as pessoas a história de seu povo.

Ay kakyri  tama.
Ynua  tama verano y tana rytama.
Ruaia manuta tana cultura imimiua,
Sany may-tini, iapã iapuraxi tanu ritual.

Tradução:

Eu moro na cidade
Esta cidade também é nossa aldeia,
Não apagamos nossa cultura ancestral,
Vem homem branco, vamos dançar nosso ritual.
Nasci na Uka sagrada,
Na mata por tempos vivi,
Na terra dos povos indígenas,
Sou Wayna, filha da mãe Aracy .
Minha casa era feita de palha,
Simples, na aldeia cresci,
Na lembrança que trago agora,
De um lugar que eu nunca esqueci.
Meu canto era bem diferente,
Cantava na língua Tupi,
Hoje, meu canto guerreiro,
Se une aos Kambeba, aos Tembé, aos Guarani.
Hoje, no mundo em que vivo,
Minha selva, em pedra se tornou,
Não tenho a calma de outrora,
Minha rotina também já mudou.
Em convívio com a sociedade,
Minha cara de “índia” não se transformou,
Posso ser quem tu és,
Sem perder a essência que sou,
Mantenho meu ser indígena,
Na minha Identidade,
Falando da importância do meu povo,
Mesmo vivendo na cidade.

4 - “Os índios estão morrendo?”
Por Yolly Sabrina Marques Lima - Taurepang

Não, não estamos apenas morrendo,
Estamos sendo assassinados,
Estamos sendo aterrorizados,
Estamos sendo humilhados…
Todavia o que viemos sofrendo,
Não será em vão.
Pode até estar chovendo,
Ainda sim continuamos lutando,
Ainda sim continuamos marchando,
Ainda sim continuamos cantando,
Ou em meio ao calor horrendo,
Conseguiremos retomar nosso chão!
Muitos continuam indo,
Muitos já estão dormindo,
Muitos que com o coração chorando continuam rindo,
Não de felicidade
Mas sim de força de vontade,
De ver nosso povo à vontade,
Naquilo que sempre foi meu, sempre foi seu…
Nossa terra, nosso chão!

Repito: Não estamos morrendo!
Repito: NÃO! NÃO!

Estamos sobrevivendo fisicamente
E muitos outros apenas in memorian ardente
Não com sede de vingança
Mas com sede de esperança
De que um dia tudo dará certo,
Que por fim, eu espero…

Que todos estejam vivos não apenas na memória,
Mas na história de uma nação que se redimiu
E que como sempre… Renasceu das cinzas,
De um passado ríspido e triste.
Abrindo os olhos para um futuro feliz e bem sucedido!
Mas lembre: Nada é em vão! Sempre há um propósito,
Mesmo que no momento de dor não pareça tão óbvio!.
 5 -  BRASIL TIRA A MÁSCARA!
 Por Yakuy Tupinambá
 Sem história, sem memória, o que pensas que és?
Nega seu próprio sangue, sua verdadeira raiz, em que ainda sonhas?
Vivendo uma quimera, quando ainda era uma nação tão bela!
Guardiã das florestas, dos rios, dos mares e dos lagos,
Das aves e dos animais.
Abrigo de um Povo dono de um Segredo Sagrado,
A essência humana!
Por que a transformação, onde desejas chegar?
Imitando, copiando, deixando se levar…
Por que abandona seus verdadeiros filhos?
Fazendo-nos sangrar, banhando seu solo e suas águas.
Que conquistas são essas feitas através da dor?
Em que se transforma, ou se transformou,
O paraíso da vida.
Não acreditas mais na força e na união dos seus filhos.
Deixou se levar pelos sonhos maculados da inveja.
Ser arrastada pela ganância daqueles que só fizeram explorar.
Tira essa máscara, ela não lhe pertence.
Estamos aqui, resistindo, esperando que você reaja
Que volte a ser forte, a abrigar novamente à vida,
Daqueles que vos ama, verdadeiramente.
Sem querer mais nada,
Além da vida para a vida.

6 - O GUARANI
 Por Maria das Graças Ferreira Graúna - Graça Graúna - Potiguara

Sepé Tiaraju foi um guerreiro 
defendeu com a vida o rincão 
a caça, a pesca e o plantio 
do guarani contra a invasão 

Da real história poucos sabem 
o que se deu no século dezoito. 
Sepé Tiaraju morto em combate 
em nome da cultura do seu povo. 

Junto a mil e quinhentos guaranis 
afirmando que “esta terra já tem dono”. 
na luta contra o mal ele morreu 

Mas contam lá em São Miguel 
quando a noite parece mais pituma 
o guerreiro Sepé vira uma estrela 

(Nordeste do Brasil, agosto de 2009)

7 - Fora do Tempo
Por Renata Machado - Tupinambá
 
Atirei uma pedra em direção ao lar das águas.
Corri nas sombras das florestas por entre os feixes de luz da copa das árvores ancestrais.
Desci por caminhos ocultos na escuridão.

Em meus ouvidos apenas chegavam os sons da pedra,
o cair dos frutos maduros,
amanhecer das plantas e nascer dos pássaros. 

Meu corpo tornou-se uma casca de semente brotando na terra,
minha pele una com o solo,
minha perna tronco e raízes.

Sou um pouco do fluxo dos rios com o sopro do ar e chamas do fogo.
Sou um canto fora do tempo na ausência de pensamento.
Meu ser uma flauta da selva tocada com gotas de chuva.
8 - Pó de Urucun
 Por Zahy Guajajara
 

Da minha pele lateja um sangue vermelho
Quando seca vira pó de urucum
E depois torna-se um corante
Aquele que faz colorir o seu alimento comum
Minha cor
Meu sangue 
Minha lágrima é uma gota de pó
O ar que respiras também é pó 
De urucun
Ai         que dó
Quando bebo
                                Bebo sangue

Aquele sangue da equação
Do urucun que desce
Em forma de menstruação

Parém então
Quando Deus me   fez
Estou certa de que em   vez
De usar o pó da terra
Ele usou o pó de urucun
 9 - Sons e Cores da Natureza
 Por Adão Karai Tataendy Antunes  
Ha verde louro no teu ventre imenso
Guarda a imensidão de seres diferentes 
Um conjunto lindo de vários elementos
Sons e cores vivem harmoniosamente
                                     De onde vem as cores que nas flores vejo
                                    Será que vem do sol,do lua ou dos ventos
                                   Se nem um pintor conhece os tons de cores
                                  Pra pintar as flores com esses pigmentos
O Lua que passa as vezes prateada
Sorrindo baixinho pra esse verde louro
Conhece as riquezas que estão guardadas 
Como um mistério de um grande tesouro
                               Pra cada estação existe um adorno
                              Pra cada evento um som diferente
                             Os sons as cores que ali convivem
                           Desse verde louro são os dependentes
Nem um poeta pode descrever 
Todo mistério de tantas belezas 
Se uns mil anos pudesse viver 
Não veria tudo o que há na NATUREZA.